Buscar
  • Dra. Rocío Liliana Arighi

Pílula anticoncepcional. Descubra as respostas dos mitos mais freqüentes.


De acordo com dados divulgados pela Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia, aproximadamente 100 milhões de mulheres utilizam

esse método em todo o mundo.


A pílula sempre é assunto nas conversas entre amigas, mães e filhas,

faculdade e consultório médico.


Desde que passou a fazer parte do universo feminino, nos anos 60, a pílula anticoncepcional (ACO) nunca mais saiu da boca das mulheres, literalmente.

Nesse meio tempo, muitos mitos e dúvidas se propagaram até os dias atuais.


As dúvidas são tantas que muitas vezes é difícil separar os fatos dos mitos.

A seguir, apresentamos algumas das questões mais comuns das pacientes

em nosso consultório:


O uso contínuo do anticoncepcional causa infertilidade?


Mito.

O retorno à fertilidade em mulheres que interromperam o uso de ACO leva mais tempo quando comparado às mulheres que interromperam outros métodos contraceptivos, mas não parece haver prejuízo da fertilidade como um todo.


Isso se dá, pois, uma parte dos hormônios pode ficar acumulado em células de gordura e continuarem a ser liberados mesmo após a interrupção de seu uso.


O anticoncepcional melhora a acne?


Verdade.

Os androgênios (hormônios masculinizantes) têm sido implicados na etiologia da acne. O ACO reduz os níveis sangüíneos de androgênios e, dessa forma, pode colaborar para diminuir a gravidade da acne. Por outro lado, em algumas raras mulheres a acne pode ser um efeito colateral da pílula.

A pílula anticoncepcional diminui a libido das mulheres?


Mito e verdade.

O maior questionamento que as pacientes fazem no consultório é sobre a perda

de libido. Não há qualquer relação entre o uso desse contraceptivo com a perda do apetite sexual, porém eventualmente se houver interferência do anticoncepcional na concentração do hormônio testosterona, poderá haver uma diminuição da libido.

O anticoncepcional causa trombose?


Verdade.

Este é um dos principais alertas que costumo fazer nas consultas.


A trombose pode ocorrer principalmente na associação com o uso de cigarros

e quando a mulher tem outros fatores de risco para trombose. O cigarro unido à pílula é responsável por engrossar o sangue, complicar a circulação e causar a trombose.


De acordo com dados da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), mulheres que usam anticoncepcionais correm um risco de quatro a seis vezes mais alto de desenvolver trombose em um ano do que aquelas que não utilizam contraceptivos hormonais.


Claro que tudo isso depende tanto do tipo de pílula e da pré-disposição que a mulher pode ter a esse mal.


Toda paciente deve ser orientada sobre a possibilidade de investigar trombofilia antes de iniciar um método contraceptivo.


Alguns medicamentos podem anular o efeito do anticoncepcional?


Verdade.

Sabe-se que a ampicilina, por exemplo, um antibiótico bastante comum

e utilizado no tratamento de infecções urinárias, amigdalites e pneumonias,

pode reduzir a eficácia do ACO.


Ainda, várias drogas anticonvulsivantes (utilizadas no tratamento de diversas

formas de epilepsia) podem diminuir a eficácia dos anticoncepcionais orais.

Nesses casos, a mulheres podem ser orientadas sobre a utilização de outros

métodos anticoncepcionais.

A pílula causa câncer?


Mito e verdade.

As pesquisas realizadas na área são incontestáveis, o uso da pílula não está associado ao surgimento de cânceres, porém podem aumentar a probabilidade de tê-los em alguns casos. O efeito muitas vezes é até contrário, onde o contraceptivo oral auxilia na prevenção de câncer como os de endométrio e ovários. Porém, as pílulas combinadas que contem estrogênio, aumentam a probabilidade de câncer de mama em pacientes com histórico pessoal ou familiar deste câncer.

O anticoncepcional engorda?


Mito.

Ainda que o ganho de peso esteja entre as queixas mais comuns das mulheres que utilizam ACO, estudos mostraram que isto pode não ser completamente verdadeiro. Uma pesquisa recente avaliou a variação de peso de mulheres em uso de contraceptivos orais durante quatro meses e descobriu que 72% das pacientes

não apresentaram qualquer alteração de peso no final do período.


O que pode ocorrer é uma retenção de líquidos maior levando a um inchaço, dependendo do hormônio que for utilizado, porém o que não é relacionado

com o aumento de células de gordura. O único segredo para não ganhar

peso é praticar exercícios e ter uma alimentação saudável.

A pílula produz varizes?


Verdade.

O ACO possui diversos efeitos sobre o sistema cardiovascular e é possível que esteja envolvidos de alguma forma no desenvolvimento das varizes, mas as pesquisas produziram resultados controversos até o momento.

O anticoncepcional diminui cólicas menstruais?


Verdade.

A menstruação dolorosa (dismenorréia) é menos freqüente nas mulheres que

não ovulam. Por isso, o ACO pode ser útil nos casos de dismenorréia.

Mulheres com Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) não devem tomar Pílula?


Verdade.

Os contraceptivos orais podem precipitar episódios de LES em mulheres portadoras desta doença.

O anticoncepcional é contra-indicado para mulheres fumantes?


Verdade.

Este alerta é muito importante. Os especialistas são unânimes em afirmar que cigarro e pílulas anticoncepcionais não combinam e que essa afirmação é baseada em dados científicos. Essa combinação pode aumentar em oito vezes o risco de trombose em quem já tem pré-disposição para a doença. O risco fica ainda maior para pacientes com mais de 35 anos.


O anticoncepcional dá celulite?


Verdade.

O aumento na retenção de líquido causado pelo medicamento, a tendência

ao surgimento de celulite pode ser potencializada. Isso normalmente ocorre

pela combinação de sensibilidade do organismo aos estrogênios

(hormônios presentes no ACO) com má alimentação e sedentarismo.

Os anticoncepcionais podem gerar depressão?


Verdade.

As bulas desse tipo de medicamento sempre trazem um alerta sobre a possibilidade

de algumas mulheres desenvolverem depressão quando o utilizam.

Esse risco está relacionado à progesterona contida na pílula.

A pílula pode ser ingerida em horários distintos?


Mito.

O anticoncepcional deve ser tomado em horário regular. O esquecimento

contínuo deixa o corpo feminino sem a cobertura da ação preventiva

da pílula facilitando a fertilização.


Precisa trocar a marca das pílulas de tempos em tempos?


Mito.

Se a mulher não tem efeitos desagradáveis com o uso continuo de uma só pílula, pode utilizar por tempo indeterminado uma marca e a eficácia não será comprometida.



O mais importante é a paciente ser acolhida e orientada adequadamente durante as consultas, para poder escolher qual método anticoncepcional irá utilizar.


Sempre avaliamos cada caso, com as suas características individuais, para podermos orientar da melhor maneira possível antes de decidir, em conjunto com a paciente, qual será o método anticoncepcional a ser utilizado se assim ela o desejar.

53 visualizações
©Clínica Arighi 2018 - Todos os direitos reservados.
Imagens meramente ilustrativas.
Responsável técnico:
Dr. Antonio Carlos Arighi Jr. - CRM/SP 113.196.
Av. Dr. Guilherme Dumont Villares, 1.230 • Cj. 13
Morumbi • São Paulo/SP • CEP: 05640-002
TEL.: 11 3501-8427
Siga-nos nas redes sociais